26 abril 2017

12 horas para sobreviver: O ano da eleição



Ano de lançamento: 2016
Gênero: suspense, terror
Tempo de duração:1h e 49min
Faixa etária:Não recomendado para menores de 16 anos
Sinopse:O policial Barnes (Frank Grillo) agora é o principal responsável pela segurança da senadora Charlene Roan (Elizabeth Mitchell), que planeja acabar de uma vez por todas a noite de crime. Em plena época de eleições, ela é uma das melhores posicionadas nas pesquisas e nova inimiga número um dos criminosos, que se armam para eliminá-la de qualquer jeito

Resenha do filme anterior ((Clique Aqui))

 Hey! Continuando com a resenha  da trilogia cinematográfica "Uma noite de crime",vou comentar um pouco sobre o segundo filme,que tem o titulo diferente dos outros da franquia, posso adiantar que aqui o clima é mais apreensivo do que do seu antecessor, vem conferir!

A eleição-doze horas para sobreviver tem um enredo totalmente diferente, mas com a mesma proposta, uma noite para cometer qualquer crime. Aqui a questão é mais ampla,uma vez que há uma politica lutando para acabar com tal evento, assim temos uma visão mais ampla de como e por que surgiu tal coisa,já que no primeiro filme as coisas são colocadas de um modo um tanto raso.

 Aqui a ação é maior,pois os conflitos são mais externos,porque acontecem durante uma fuga,a apreensão aumenta,não se fica naquele suspense de algo irá acontecer,outro ponto a se observar é que há uma critica social em relação aos impulsos violentos da sociedade e sobre o que o governo aparenta e o que ele realmente é,e como é perigoso se opor a seus mandatos.

Outra coisa que fica mais evidente,é a insanidade das pessoas,e ai vemos que a questão da purificação ser uma forma de reduzir os índices de violência é apenas uma fachada e que há algo muito maior e perverso por detrás disso.

Uma curiosidade interessante é que os acontecimentos do segundo filme ocorre posteriormente aos acontecimentos do terceiro,mostrando que a franquia não segue uma linha cronológica reta.

E ai,o que acharam? Pretendem assistir ou já assistiram? Contem aqui nos comentários!

19 abril 2017

[Resenhando contos] Mulheres Perigosas






Autor (a): George R.R Martin

Editora: Leya

Número de Páginas: 736 páginas.

Ano de lançamento: 2017

Sinopse: George R. R. Martin apresenta as mulheres mais perigosas dos livros de fantasia.No ano em que o filme Rogue One chega às telas com uma heroína que reina absoluta, forte e autônoma, você vai conhecer as mulheres mais perigosas da literatura de fantasia mundial. Editada por George R. R. Martin, esta antologia traz 21 histórias inéditas sobre magia, ciúme, ambição, traição e rebeldia para Joana D’Arc nenhuma botar defeito. Esqueça o estereótipo de mulheres vítimas e heróis másculos enfrentando sozinhos qualquer perigo. Aqui você irá encontrar mulheres guerreiras, intrépidas pilotas, destemidas astronautas, perversas assassinas, heroínas formidáveis, sedutoras incorrigíveis e muito mais. Assinado por monstros da ficção científica e fantástica como Brandon Sanderson, (“Mistborn”), Megan Lindholm (“A Saga do Assassino”, sob o pseudônimo Robin Hobb), Melinda M. Snodgrass, Caroline Spector (“Wild Cards”) e novos nomes da literatura jovem como Megan Abbott (A febre) e Diana Gabaldon (“Outlander”), o volume conta ainda com uma novela do próprio Martin sobre A dança dos dragões, a guerra civil que assolou Westeros dois séculos antes dos acontecimentos de A guerra dos tronos.

Mulheres perigosas é um livro simplesmente imperdível, daqueles que você não consegue parar de ler.

Prepare-se para todo o tipo de perigo e para perder o fôlego com essas mulheres mais que poderosas.


Livro gentilmente cedido pela editora Leya

  Sem dúvidas esses é um dos maiores lançamentos literários do ano (tanto pela sua grandiosidade em relação ao tamanho quanto pelo seu conteúdo) mulheres perigosas nos leva a um elevado patamar não só pelos seus vinte dois contos, como também pela sua diversidade de histórias.

  Imagine,você andando por uma espécie de amostra literária, onde poderá conhecer a escrita de diversos autores, e ainda sendo apresentados  a novos escritos de autores que você já conhece, não seria demais?! Então,essa antologia te proporciona exatamente isso,com um toque diferenciado,aqui as mulheres são donas da história, no sentido literal da expressão! Mulheres que amam,que matam,que salvam,mas que acima de tudo são protagonistas.

  Aqui podemos desfrutar de uma leitura que a narrativa pode acontecer no passado,presente ou futuro, dependendo do conto,sem falar na grande mescla de personalidades das protagonistas, de manipuladoras a sonhadoras, de ambiciosas a piedosas,cada conto é único seja pelo modo de escrita ou pela perspectiva do leitor. É possível notar que os autores tiveram a liberdade para se diferenciar um do outro,mesmo que a temática feminina fosse única,isso não delimitou ou muito menos prejudicou a obra,vale ressaltar que  no livro diversos gêneros estão presentes, drama,terror suspense,distopia e etc..

  Obviamente,alguns contos ira prender o leitor, mas que o outros, porém é praticamente impossível ficar insatisfeito por completo,já que há uma grande variedade de contos e sem falar que com certeza você já deve ter ouvido falar sobre algum autor presente no livro,sendo assim gostar de um conto ou não vai do pessoal mesmo,porém sem dúvida algum irá te conquistar.

Mulheres perigosas é perfeito para quem conhecer novos autores e histórias, tudo em isso em uma única obra.
   

08 abril 2017

[Resenhando Contos]Amores e desamores

Autor (a)  Renata R. Corrêa
 Número de Páginas: 66 páginas.
Ano de lançamento: 2017
Sinopse:Nesta coletânea de 11 contos curtos, a autora narra de forma delicada, característica da sua escrita, histórias de amores que deram certo e de outros que não terminaram bem, dividindo com o leitor a angústia, o sofrimento e o medo de seus personagens, bem como seus sonhos e suas alegrias

               Compre o ebook clicando 


Olha eu aqui em pleno sábado! Dessa vez pra resenhar o novo livro da nossa autora parceira Renata R. Corrêa,um livro de contos intitulado de amores e desamores, adianto desde já que a obra proporciona uma leitura super agradável.

  Amores e desamores traz onze contos que narram dois pontos extremos da vida de qualquer pessoa, o amor e desamor,confesso que acho essa temática um tanto perigosa,uma vez que ela pode pesar pela melosidade ou pela melancolia,mas me supreendi nesse ponto já que a autora não pesou a mão em nada,nem mesmo na carga dramática das histórias, o que acaba divertindo,mas ao mesmo tempo nos fazendo refletir sobre essas situações tão opostas,mas que caminham lado a lado.

   Enquanto lia,não pude evitar uma nostalgia, já que quantas vezes julgamos amores tão efêmeros eternos? Sejam em maior ou menor escala,qualquer pessoa está sujeita isso e a temática desse contos nos demonstram isso,não adiantando quando amor se dar ou quanto se recebe.

   Particularmente, mesmo estando no seu segundo livro a autora já tem um estilo próprio que se marca pelo seu romantismo e suavidade na abordagem de suas tramas,digo isso porque tive essa mesma sensação enquanto lia "contra todas as possibilidades",o que acaba gerando uma leitura muito fluidae descontraída,sendo perfeita para aquele leitor que deseja algo que quer passar o tempo de forma rápida, mas com qualidade.
Amores e desamores é perfeito para quem procura uma leitura leve e que o faça refletir com delicadeza sobre sentimentos tão opostos, mas que acontecem praticamente na mesma medida.

06 abril 2017

[RESENHA] Diário de uma escrava

Autor (a) Rô Mierling
Editora: Darkside Books
 Número de Páginas: 240 páginas.
Ano de lançamento: 2016
Sinopse: Laura é uma menina sequestrada e jogada no fundo de um buraco por alguém que todos imaginavam ser um bom homem. Ela vê sua vida mudar da noite para o dia, e passa a descrever com detalhes sinistros e íntimos cada dia, cada ato, cada dor que o sequestro e o aprisionamento lhe fazem passar. Estevão é homem casado, trabalhador, pai de família, mas que guarda em seu íntimo uma personalidade psicopata. Ele percorre ruas e cidades se apossando da vida de meninas ainda muito jovens, pois dentro de si uma voz afirma que é dele que elas precisam. Mergulhando fundo nessa fantasia, ele destrói vidas, famílias e sonhos, deixando atrás de si um rastro de dor e morte.
  Narrado em parte em forma de diário, o livro acompanha mais de quatro anos da vida de Laura em um buraco embaixo da terra, período em que algo dentro dela também se modifica de uma forma inimaginável em busca da única maneira para sobreviver. Publicado originalmente na plataforma digital Wattpad, onde já teve mais de um milhão e meio de leituras, DIÁRIO DE UMA ESCRAVA apresenta um retrato duro, cruel, abominável, mas infelizmente corriqueiro no Brasil e em todo o mundo.
   Através de Laura, raptada ainda adolescente por um homem que ela chama de “Ogro”, a autora denuncia os diversos tipos de violência que muitas mulheres são obrigadas a suportar em silêncio e nas sombras da sociedade. O “Ogro”, um homem aparentemente comum, honesto e “acima de qualquer suspeita”, mantém Laura presa em uma casa afastada, onde abusa dela sexual e mentalmente, alegando ser ela o seu verdadeiro amor. Laura, compreensivelmente, só pensa em escapar dali. Mas agora ele parece estar mudando. Será que é o melhor momento mesmo para fugir?... Bem, isso você vai ter que ler para descobrir


Recentemente tive a oportunidade de finalmente ler o livro diário de uma escrava,depois de muita ansiedade e espera, confesso que não sei se valeu pena,não porque o livro seja ruim (não é) mas sim porque a leitura nos causa um sentimento de aversão, conflito.

      Diário de uma escrava é uma leitura forte,um soco literário no estômago, nenhum pouco indicado para menores de idade ou para quem tem estômago fraco e também para quem se impressiona fácil, mesmo aquele leitor que já é acostumado a algo mais hard ainda poderá se sentir afetado pela leitura,mais do que tudo porque o assunto abordado nele faz parte de uma realidade obscura e por vezes esquecida.

"Ela olhava para a janela e admirava a beleza da borboleta. Sempre foi apaixonada por borboletas. A multiplicidade de cores, a graça e a suavidade das asas. O efeito larva, casulo e borboleta era muito encantador. A liberdade do voo tinha um toque de mistério e perfeição. A borboleta pousou na sua janela. Era azul, preta e lilás. A menina nunca tinha visto uma assim. Era perfeita."

     No enredo acompanhamos Laura,uma menina que foi raptada e que agora vive em um buraco sendo constantemente abusada por um homem que ela chama de ogro,os abusos físicos e mentais são bem detalhados,o que pode incomodar alguns leitores,e ai percebe-se que a obra não tem a intenção de somente entreter o leitor,mas de também de alertar e conscientizar sobre esse triste "destino".

"E eu fico ali, chorando e sabendo que faz mais de quatro anos que fui sequestrada e a polícia não deve mais estar à minha procura. O único que sabe onde eu estou é aquele homem nojento que me estupra todo dia e a quem chamo de Ogro."

  Particularmente, não posso dar uma opinião objetiva,se me perguntassem se eu gostei da leitura e fosse para responder com sim ou não, eu não conseguiria dar tal resposta se eu não a justificasse,mesmo já tendo um pouco de noção  do que me aguardava,mas acho que o enredo não é do tipo para se criar empatia,o mesmo foi criado para alertar,chocar,ainda mais quando se pensa que foi baseado em alguns casos da vida real e no próprio livro temos alguns relatados no final.

   Nem mesmo pela protagonista eu consegui criar alguma empatia,claro que passei a leitura toda torcendo para que ela ficasse bem ou melhor dentro do possível,mas mesmo acompanhado a alteração do seu estado mental devido a tortura psicológica e seus conflitos, alguma coisa me fez não ter aquela afeição que criamos por alguns personagens e se no início já é assim,mas pro final é que não dá mesmo,e o que dizer do seu raptor? No mínimo asqueroso,e ao mesmo tempo mostra que pessoas da pior espécie, pode fingir perfeitamente um cidadão normal,do bem.

   Aos outros personagens,posso dizer que faltaram mais espaço para eles,e que possivelmente teriam potenciais se fossem melhor trabalhados dentro da obra, mas talvez isso seja só uma impressão muito particular.

   E por fim,não posso deixar de dizer que a edição da Darkside está maravilhosa, como sempre podemos esperar dessa editora,capa dura,beiradas das páginas multicoloridas e uma capa que pode até pegar de surpresa aqueles leitores mais desatentos,como eu pude presenciar.

"Ficava para trás a menina Ursinha, a Laura da mãe e do pai, a namoradinha do Mauro. Ficava para trás minha inocência, meu amor, minha paz, minha caridade e minha fé. Ficava para trás meu ser humano, e morava em mim agora uma escrava. Eternamente escrava."

   Enfim,diário de uma escrava,atinge muito bem o seu objetivo,com um enredo que não só nos alerta,mas também nos choca,não há menor beleza ou glamourização do que se passa ali,tudo se resume a sofrimento,dor e conflito.

   E vocês já leram? O que acharam? Gostaram da resenha? Me digam aqui nos comentários! Até mais,pessoal!
imagem-fundo imagem-logo